É desta...

Tal como já anunciado, é aqui que me despeço de vós.

Fiquem todos bem. A vida segue lá fora...

Um beijo.

"Temporariamente Fora de Serviço"

A vida às vezes tem destas coisas. Que é como quem diz, tem destas contrariedades...

Falo das decisões, das difíceis. Como esta que acabo de tomar. À excepção de um post que só publicarei amanhã, e que dedico à minha Princesa, ao meu Anjo, este post vai ser o último deste blog.

Faço-o com um misto de tristeza e orgulho, porque desde o início me senti acarinhada por todos os que aqui fizeram o favor de passar e perder tempo a deixar as suas palavras de encorajamento, de amizade, de brincadeira. E habituei-me a desabafar com as letras e a partilhar as conquistas e traquinices dos meus baixinhos.

Só ando por aqui desde Março, mas congratulo-me de poder dizer que conheci muita gente boa. Uns pessoalmente, outros ainda não.

E o saldo foi francamente positivo. Gostei de aqui estar.

Até logo...


A Fada dos Dentes...

...´ta bem arranjda, cá por estas bandas, pois 'tá!

Pois é, o Tomás já está na "muda" dos dentes. Resolvi dar um toque mais à século passado e lá vim com a conversa da Fada dos Dentes...correu mal.
Estes putos já não admitem conversas com pouca argumentação lógica, é o que é. Foi assim:

Eu: Então ó Tomás, sabes o que é que acontece quando os dentes estão a abanar?
Tomás: Sei, caem os dentes.
Eu: E sabes o que é que se faz a seguir?
Tomás: Sei, desinfecta-se e põe-se um penso.
Eu: Nãããõooo - põe-se o dentinho debaixo da almofada, e de manhã está lá uma moeda.
Tomás: Blharrghh - que nojo! Para quê, não tens dinheiro? (como quem diz "ó pindérica, é preciso andar aqui a sacar os dentes ao filho??")
Eu: Porque existe uma Fada - a Fada dos Dentes e é assim que a Fada dos Dentes faz!
Tomás: Mas como é que "essa" Fada sabe que o meu dente vai cair? (já não se engana um puto assim tão facilmente...a evolução das espécies...os meus netos já devem "vir" sem caninos, dentes do siso e com um dedo poelar enorme, para os sms's...calculo)...
Eu (resolvi "informatizar" a conversa, para não passar por "tóininha"): Ela tem um computador que tem lá uma base de dados de todos os meninos do mundo que têm dentes a abanar...
Tomás: Então a mãe dela não a avisa? É preciso um computador? Olha que mesmo as fadas têm as mães que a avisam, ou não?? (os putos são mesmo difíceis de contentar...)
Eu: Pois, não sei se calhar tem...
Tomás: Mas porque é que ela me dá uma moeda? E porque é que não me acorda para dar a moeda?
EU:Tá bem, pronto... preferes um chupa-chupa ou um ovo da Kinder...?

Tou k'a moca...

...ai que preguiça qu'eu tenho hoje... é dos amarelinhos do apetite...mas "prontes", a pedido de várias famílias, lá vai.

T'áki um post ... de pescada...!

"CREL"

É assim, uns dias parece que não se consegue ver o caminho, de tanto nevoeiro, de tanta curva sinuosa que a nossa estrada tem. A chuva é torrencial, e por mais que o limpa pára-brisas trabalhe...não se vê um palmo à frente do nariz...

Mas depois, o sol consegue romper, por detrás das nuvens mais negras e lá aparecem umas rectas, com uma paisagem mais calma, menos agreste...sim, ainda existem ventos fortes, mas consegue-se conduzir, sempre com cautela, porque o piso ainda está escorregadio...e se abrirmos a janela, até sabe bem o ar frio, a passar-nos na pele, que se arrepia...e reparamos que estamos vivos, afinal...

É esta a minha estrada. Já saí do "Itinerário Complementar do Desespero". Desviei para a minha "CREL" (Caminho Repleto de Esperança e Luz)... e vai-se bem... sou eu quem vai ao volante...


Obrigado.
Por tudo o que vocês têm feito por mim nestes dias e nos outros todos...não vai haver nada suficiente para vos retribuir...só a certeza de que vos amo muito.

Que susto

Não sei o que é que se passa com o meu blog, mas tenho apanhado uns sustos valentes hoje!

É que me desaparece o Reino... mau maria, ó senhores do blogger!! "Atão"!?!?

Bom, "vamo" lá a ver!

Sub-16

É desta! Tem que ser desta!

Estou a tomar uns comprimidinhos simpáticos para abrir o apetite, a ver se deixo de me vestir na secção dos sub-16... e só tenho a dizer que os ditos estão a fazer um efeito...do caraças!

O meu jantarinho de ontem foram duas postas de pescada, daquela granjola, batatinha e cenourinhas, de fruta, uma banana. Isto tinha sido precedido de uma sandocha de queijo, em pão de Mafra.

Hoje, aqui sentadinha onde estou, já "limpei" o pequeno almoço e o lanche... e não páro de olhar para o relógio a ver quando é que vem o almoço...

Juro que isto não é para fazer inveja a ninguém, de verdade.

É que, se não me ponho a pau, qualquer dia estou igual de lado e de frente... e gosto tanto do meu bikini...

Sala de espera...

17 horas, chamada do colégio...deixa-me sempre com os cabelos em pé "o que é desta vez, quem é que adoeceu?"... desta feita, foi a Rita que passou mal do estômago e largou todo o almoço. "Não tem febre, fique descansada, é só para saber!". Pronto, dieta ao jantar.
Chego ao colégio e encontro uma Rita com ar de folha de papel, com olheiras e pouco reactiva. Seguimos para casa e tentamos fazê-la beber um chá chalado. Mas qual quê, chá que o beba eu...
Lá bebe água e depois pede leite - que lhe dou a contragosto - mas da chávena só sai um golinho...que volta a sair meia hora depois, juntamente com o resto do almoço...
Vou ao médico, não vou...fui - pus-me a caminho com os baixinhos para o hospital. É um hospital privado, pouca gente e somos atendidos rapidamente para fazer triagem.
Aquele hospital, cuja sala de atendimento da pediatria tem imensos brinquedos, surte sempre um efeito tónico nos doentes - mas ontem o efeito foi demais!

Na meia hora mal contada que lá estivémos deu para:

- A Rita sentar-se ao colo de toda a gente (7/8 pessoas), e distribuir abraços e beijinhos por todos;
- A Rita falar estrangeiro com toda a gente;
- O Tomás contar a toda a gente que a Rita tinha vomitado (imaginam o efeito que esta declaração teve na senhora que a segurava no momento da declaração...);
- O Tomás contar a toda a gente o que tinha feito na escola, como se chama a educadora, dizer a idade e o que foi o almoço (note-se que sempre que lhe peço que me diga como foi o dia, diz-me que não se lembra e quando questionado quanto ao menu diário despacha-me sempre com a já famosa frase do despacha "foi sopa de limão!");
- Ambos brincarem à apanhada e às escondidas. E nem a chegada do pai os acalma (convém aqui explicar que já são mais ou menos 10/10:45...)

Mas isto não acaba aqui, pois que o "homem" da casa, leia-se o Tomás, resolveu ser ele a falar com o pediatra:

Pediatra: Olá Rita, então o que é que tens hoje?
Eu: A Rit....
Tomás: Olha, a Rita vomitou tudo na escola; que nojo, mas coitadinha, 'tava mal disposta.
Limitei-me a confirmar com a cabeça.

Pediatra: E o que é que a Rita comeu de diferente do irmão?
Eu: Na...
Tomás: Nada! Foi canja.
Eu confirmei outra vez.

(Nesta altura a Rita já estava sentada na cadeira do médico, prontinha a atacar o PC.. e eu a ficar cada vez menor...)

O pediatra vê a barriguita, ausculta a dita e conclui que nem sequer é gastro. "Melhor", pensei eu.

Começa a prescrever a dieta do costume "Pode beber chá, e " aqui é interrompido pelo Tomás "Não pode não, que ela não gosta!", eu intervenho para o calar e o pediatra continua " e pode beber coca-cola sem gás..." - "não pode nada, atão não sabes que ela não gosta?", retorquiu, já com ar de poucos amigos, o Tomás.

Aqui, percebi que, realmente estava ali a mais e sugeri ao pediatra que falasse directamente com o "homem do leme".

A Rita, claro, não parou de mexer em todo o lado.

Parece-me que, para apróxima trago-os só até à sala...nem vale a pena seguir para o pediatra...

Post sem nome

Não tem nome porque nem eu sei como o haveria de intitular.
Porque hoje estou a sentir-me vazia. Sem norte, magoada e triste.
Porque às vezes não entendo as coisas e as pessoas que me rodeiam.
Porque não entendo porque é que as coisas têm de ser assim.
E estou sem entender tantas outras coisas mais, tantas, que não me posso sentir mais do que infeliz.

Blognique

O rescaldo do evento mais badalado da blogoesfera:

- gostei de conhecer toda/os os babbybloggers presentes, fiquei com muita pena de não ter sido ainda que conheci uma certa amiga, mas estará para breve, concerteza!

- o espaço era bom - apesar de não ter sido aquele que inicialmente nos estava destinado (a organização interna do Museu falhou um bocadito...)

- não gostei das abelhas!

- o Tomás adorou e perguntou-me ainda hoje quando é que fazíamos outro "pinequique" ...

- a Rita adorou toda a gente...

- gostei do tempinho ali passado na conversa, que foi também ela muito agradável.

Em suma, um sábado bem passado!

Ah, é verdade, fica aqui a minha palavra de agradecimento a todos quanto passaram uma boa parte do tempo a correr atrás da minha Rita! Obrigado! Mesmo!

Dia da Mãe

Hoje é dia da Mãe. Frase pouco original, esta. Detesto, cada vez mais estes dias de exploração comercial da condição de mães, mulheres, pais ou seja lá o que for...

Para mim, apesar de estar aqui com os meus pequeninos, não é um dia muito feliz. Porque hoje é simultaneamente um dia de Muita Saudade. Ela não está cá e a Mãe dela está triste hoje. Como todos nós...muito tristes.

Por outro lado, este "M" também não significa só Mãe. Significa Mulher.

E para mim, significa Medo.

Mas porque também significa Mudança, significa também Esperança - que não começa com "m", mas isso agora não interessa nada...