DZert... (estou a escrever isto bem??)

Eu, que nunca vejo novelas (a bem dizer, não vejo televisão nenhuma, porque atendendo ao facto de só haver um televisor lá em casa, democraticamente, estou sempre feita, porque eles são mais que eu...), eu, que tanto me orgulho de educar os ouvidos dos meus filhos com música o menos comercial possível, com um espectro de ofertas que vai de Vivaldi a Bach, de Débussy a Grieg, passando por umas experiências mais electrónicas, género Gorillaz, Depeche Mode, dEUS, Adriana Calcanhoto e por aí fora, eu, que ainda ontem relembrei a fabulosa música dos gatinhos (aquela do "miau fru-fru", lembram-se?), quase ia morrendo com uma congestão quando ele me perguntou "Ó mãe, tu gostas dos DZerts?"...

Foi coisinha para me deixar debaixo do chuveiro por mais 15 minutos, a perguntar-me a mim própria onde foi que eu errei!...

Bruxa...Eu?!

Spirit Witch
You are a spirit witch. Many envy you because you draw your power from within. A mix of all resides within your vital spirit and makes you what is called a "natural" witch. Lucky you. Your powers of intuition are extraordinary, you're intelligent, creative, and beautiful but have a sense of mystery about you. You have a tendency to stay invisible and don't like a lot of attention. You have a strong urge to travel and most likely have already been further than most.

What kind of witch are you?
brought to you by

Espírito de Natal

Sábado foi o dia escolhido para fazer a Árvore de Natal. Ora, comprámos uma árvore de metro e meio, 48 bolas vermelhas, uma estrela bordeaux, muito gira, e luzinhas (tão baratas - 0,50 € - que aqui a bimbaça da mãe, depois de passar o pacote 3 vezes no leitor óptico, foi fazer a mesmíssima pergunta a um senhor do hiper...).

Pronto, tínhamos a tardinha feita!

Depois do Tomás ter feito os trabalhos da escola, lanchámos e lá fomos os três para a linha de montagem...

E montei a árvore, os baixinhos abriram os ramos do "abeto".

Eu enfiei 48 linhas douradas em 48 bolas (que deram um trabalhão a preparar aqui à mãe, mas vale-me a consolação que ficam feitas para o ano que vem); estas, por sua vez foram penduradas por dois pares de mãozinhas que, contrariamente ao que supunha, não deixaram nem uma só cair no chão!

Depois, pendurámos uns sininhos que estavam lá em casa de outros natais, um boneco de neve e um comboio, ambos de porcelana (sim, porcelana!), e eu coloquei as luzes.

No fim, colocámos a árvore em cima de uma caixa, cobrimos os pés com uma mantinha vermelha e juntámos-lhe um micro- presépio (atenção: o presépio é de barro, mexicano, tem mais ou menos o tamanho de uma maçã pequenina e as figuras são do tamanho de um clip...), e uns pais-natal de cera.

É portanto, uma Árvore de Natal de risco (barro, porcelana...).

Resultado:

Está lá, intocada! Tem visitas frequentes e a Rita, a potencial atacante, orgulhosa, repete: "Fôs nós que fixémos! E a mãe fêx ax lujes! Está linda!!" .

Aliás, desde que começou a anoitecer, sábado e domingo, apagaram-se as luzes da sala e só as da árvore se ligaram! E a sala passou a ser o sítio mais cobiçado da casa.

Dentro deste espírito, fizémos os envelopes, com espaço para um selo personalizado, para o Pai Natal.

Parece que afinal, o Natal quer entrar neste Reino, ainda envergonhado, mas quer...

Ter quatro anos...

...por seu turno, é:

...não resistir a desfilar perante um espelho, seja em que ocasião e local for.

...ter mais ou menos duas dezenas de bárbies e príncipes e cavalos das barbies e amigas das barbies e barbies-fadas e não sei quê das barbies.

...ter o guarda-roupa predominantemente em tons de rosa.

...começar a não querer usar calças - a menos que sejam de um tom rosa forte.

...querer pintar as unhas todos os dias.

...querer ir ao salão de cabeleireira cortar o cabelo.

...acordar e dizer para si própria "sou uma princesa tão liiiiiiinda!"...

...bem, pelo menos tem o amor próprio em alta !! :)

Ter seis anos é: ...

...estar permanentemente a beliscar a irmã.

...reclamar sempre do menu ao jantar.

...atazanar a cabeça à Avó.

...só funcionar por estímulos (se não fazes isto, não te faço aquilo...).

...achar que o banho é uma coisa sinsitra e que só se toma uma vez por mês.

...não tocar absolutamente em coisas de miúdas.

...não olhar para a televisão quando passam anúncios de coisas de miúdas e, se acompanhado, proferir um "blhááá´cccc!", para delimitar a "masculinidade"...

...ter a mania que já conduz melhor que a mãe.


...minhas amigas, vem aí o "armário" ...

O Casamento da Avó...

...aparentemente, tem dado pano para mangas, nas cabeças dos baixinhos...
Cá pelo burgo, como vai ser o Tomás a levar as alianças aos avós, e como já sei que ele destesta protagonismos, decidi ver se o ia "habituando" à ideia...a seguinte conversa teve lugar:

Eu: Então, que sorte, vais ter uma festarola no sábado, hã? A Avó vai casar na Igreja com o Avô. E tu vais levar as alianças! que honra!
Ele: O que é honra?
Eu: É pedirem-te para fazeres uma coisa muito importante, como levares as alianças aos avós.
Ele: O que são as alianças?
Eu: São os anéis.
Ele: Mas eles já têm aneis!
Eu: Mas estes são especiais! São alianças! E és tu quem as vai levar!
Ele: Eu?!...Porque é que não as levam eles? ...Não me digas que não têm força?!...Olha, o Pai pode levar!...

...não correu lá muito bem, não senhor...

Matinais...

"Está mais frio hoje", digo eu. " Vamos vestir uns collants, sim, amor?", reforço, preparando-me para o ajudar. Mas, em vez do "sim" habitual, tenho um "Ó mãe, collants são para as meninas!!", indignado, vindo de um "gajinho" que ainda não tem 6 anos feitos...

---

A roupinha toda preparada de véspera, para não nos atrasarmos de manhã.
"Não quero!", ou seja, indeferimento liminar.
Fundamento: "Num é corrósa!"...depois digam-me que eu só sei vestir a miúda de cor-de-rosa...

---

Eu: Meninos, temos de começar a ver quem vamos convidar para a vossa festinha, sim?
Ele: Tenho de ver quem é que vale a pena...
Ela: Xim, poijé!
Eu: (silêncio...)

Taruga Fixa

...e ela adorou o catálogo!
Tantas coisas para menina, tudo tão cor-de-rosa e cheio de brilhantes!...

Mas ela conhece bem as coisas de rapaz! Até conhecia a "Taruga Fixa", vejam lá!...

Querido Pai Natal...

Este ano, eu queria...

Foram 3 cartas. Só para ele... Mas porque a caligrafia ainda não está apurada, era um pedido por carta, porque mais não cabia...
E ficou prometido ajudar a mana a fazer as suas também. Que os manos mais velhos também ajudam as manas...

A mim cabe-me agora a tarefa de as colocar no correio, direitinhas ao Pólo Norte...

A lenda de S. Martinho


Era Outono!
Era uma tarde de Outono!
Mas era Inverno que fazia!
Martinho, soldado romano
Cavalgava...
E o seu dever cumpria!
Rubra capa o protegia,
De tão grande temporal!
Eis que seu olhar vislumbra
Alguém que gemendo... sofria!
Sua alma generosa
Encheu-se de compaixão!
Parou!...
Olhou!...
E, ... ternamente observou!
Martinho ouviu
Com comoção,
Pedidos de auxílio,
De súplica,
Daquele mendigo,
Ali estendido...
No chão, húmido e gélido!
Todo molhado!
Tão mísero!
Tão sofrido!
Martinho,
Sem hesitar,
Em sua espada pegou
E... num repente
Em duas, a sua capa cortou!!!
De sorriso nos lábios,
Nas mãos do pobre deixou
De sua capa a metade
A outra... p'ra si ficou!!!
E, eis que se deu o milagre!!!
As nuvens que até aí
Poderosas, no céu reinavam,
Espantadas de tanta bondade...
Se afastaram!
Afastaram-se para o sol ver
Aquele gesto generoso
Daquele nobre soldado.
O sol também gostou...
Também gostou, do que viu
E abrindo seus braços dourados
O rei dos astros sorriu!
Isto foi retirado daqui!
Um bom magusto para todos!
Eu cá, vou já arranjar as minhas castanhitas e a jeropiga, que amanhã há magusto lá no Castelo!

Um bocadinho mais de Sol

Custa a arrancar.
Mas consegue-se.
De resto, eu já nos vi, portugueses, a fazer coisas lindas.

Lembram-se das inundações de há alguns anos atrás , já não sei precisar quantos, quando tanta gente ficou sem bens nem casa, a mobilização que se gerou e se conseguiu arranjar roupa e outros haveres para aqueles que perderam o fruto de uma vida de trabalho?

Lembram-se de Timor?

Mais recentemente, lembram-se das vítimas do Tsunami?

Pois umas amigas que conheci há pouquinho tempo estão a divulgar esta iniciativa interessantíssima.

Passem lá. Não custa nada. Ou pode custar um pouquinho. Serve para ajudar crianças africanas a ter uma vida com um bocadinho mais de Sol...

O tempo

Não sei se é do tempo.

Ou se é porque não tenho tido muito tempo.

Ou porque ainda não chegou o tempo.

Na realidade, não tenho tido nem muita vontade de escrever, nem de passear por aqui.

Talvez sejam tempos diferentes.

Não me levem a mal não vos visitar, não vos comentar.

Parece que tenho a mente e a mão dormentes.

Fiquem bem.

Um dia destes trago novidades.

Quando for o tempo.