Inês,

É tanta a dor e a saudade que nos vai no peito, que nem mil gritos nos acalmam a angústia.
Tu sabes. Mas, ainda que nos escape a arte de te trazer em pessoa, temos-te nos nossos corações. Todos, famíla, amigos, todos quanto te amavam, todos quantos foram abençoados com o teu toque.
E amanhã, vamos fazer com que todos saibam que cá dentro, estás bem viva dentro de nós.

A tua Amiga Sara preparou-te uma surpresa. Amanhã vai contar a toda a gente o que sentimos, porque o sente ela, também. Queres ouvir?


"Entre estas quatro paredes, reunimos o incessante amor que sentimos por alguém muito especial, que a todos deixa saudade.

Um Anjo que nos saudou com a sua pureza e bondade, encarando a vida com um sorriso no rosto e lutando com inconfundível coragem contra os obstáculos que a vida colocou no seu caminho.

Viemos louvar esse Anjo luminoso, exemplo de força e determinação, que nos concedeu o privilégio de enriquecer as nossas vidas com a sua presença.

Para ti Inês, aqui fica um enorme beijo de todos os que te amam e te lembrarão sempre com o enorme desejo que descanses em paz nesse Reino de Glória e Luz, onde és Chama que nos ilumina e Estrela que nos conduz."

Viste?

Um beijo, para ti, Anjo Lindo!
Onde quer que tu estejas...



---

À Sara, a autora desta homenagem, os meus agradecimentos, que, creio, poder estender a toda a família.
Obrigada.

Amanhã...

Amanhã a chuva ainda molhará ainda mais a minha alma.
Amanhã o frio gelará ainda mais o meu coração.
Porque amanhã é a pior data de todas.
Quem me dera que amanhã não fosse amanhã.
Tenho saudades do teu riso.
Da tua voz.
Das tuas mãos.
Dos teus olhos.
Das coisas que falávamos.
Das músicas que ouvíamos.
De ti!
Amar-te-ei para sempre, Inês!

Durmo bem melhor ...

... depois de ouvir dela "Mãe, até manhã, m'noite e bijinho" e dele "Mãe, até amanhã, é linda!"

Agora vou ali buscar um lençol para apanhar a baba, tá?

As Paredes

Esta semana vou estar sem os meus baixinhos. Já não é a primeira vez, mas isto ainda custa. Custa não ter barulho em casa, não ter discussões porque duas alminhas, no meio das montanhas de brinquedos querem ter o mesmo ao mesmo tempo. É esquisito ver o quarto deles sempre arrumadinho. Acordo sempre às 4 da madrugada (é a hora de ir por a malta a fazer chichi), mesmo sem os ter no quarto do lado. Eu sei que eles estão bem. Apesar de saber isso, dou por mim constantemente a olhar para o relógio e a imaginar o que poderão estar a fazer.

Desta vez, as paredes não estão a pesar tanto. É que as aulas estão a começar e ir à universidade ajuda a esquecer que eles não estão comigo. Quando chego a casa, é só comer qualquer coisa, reler os apontamentos, ler um ou outro aspecto nos manuais e, quando reparo, já estou cheia de vontade de dormir.