Curtas...

Ela gosta de se deitar comigo. Gosta de "ir ter conversas". E assim, algumas noites vamos para a minha cama, enquanto o irmão brinca mais um bocadinho antes de se deitar.
A de sábado foi muito acerca de saber como era quando era bebé.

Eu expliquei-lhe que ela era muito sossegadinha, muito fofinha.

Expliquei-lhe que sim, que dava pontapés dentro da minha barriga. Que eu a amava ainda na barriga.

Que sim, que ia amá-la para sempre.

Que ia ser a minha bebé para sempre.

Resposta, assim meio envolvida num abraço muito apertado:

" Ah, os velhos tempos! Esses é que eram bons tempos!... Mas é no futuro que está o caminho!..."

3 comentários:

Júlio Reis disse...

Tanto saudosismo... e tanto sentido de missão :) numa existência ainda tão curta...

LP disse...

Fantástica :)

Carla O. disse...

:) Uma sabedoria especial...
Beijinhos